13 curiosidades que toda mulher que ama batom vai gostar de saber

Conheça alguns fatos bem curiosos em torno desse produto de maquiagem que se tornou um dos mais amados por nós, mulheres.

Nefertiti estava entre as egípcias que pintavam os lábios

1- Na antiga Mesopotâmia, entre 2500 AC a 1000 AC, as mulheres já usavam pedras preciosas para decorar os lábios.

2- No Egito Antigo, entre 2000 AC a 100 DC, o uso de batom entre mulheres da alta casta era bem difundido. Para obter o vermelho carmim que pintava a boca das mulheres da época, besouros do mesmo tom eram esmagados. As egípcias, assim como nós, também curtiam o efeito cintilante e conseguiam dar esse plus usando microfragmentos de escamas de peixe. Entre as egípcias que pintavam os lábios estão Nefertiti e, claro, a diva das divas, Cleópatra.

3- Na Roma antiga, 753 AC a 476 DC, uma pasta gordurosa à base de cevada, chifre de veado, mel e salitre era usada como proteção labial.

4- Durante a Idade Média, entre os anos 476 e 1453, a Igreja condenou o uso do batom, que, segundo os religiosos da época, era ligado aos adoradores de Satanás. Apenas as mulheres do status mais baixo (prostitutas, em bom português) usavam batom.

5- O maior avanço do batom ocorreu na Idade de Ouro Islâmica (aproximadamente entre os anos 790 e1258), quando Abu al-Qasim al-Zahrawi, famoso cirurgião e químico, aperfeiçoou a fórmula para batons sólidos e perfumados — e que ainda são a base para o batom moderno.

Elizabeth I: batom para a nobreza inglesa

6- A rainha Elizabeth I, que governou a Inglaterra entre 1558 e1603, foi importante para difusão do batom entre as mulheres da nobreza. Conhecida como a “Rainha Virgem”, ela usava muitos cosméticos para manter sua aparência de jovem. Seu make consistia em pele pálida, bochechas coradas e lábios vermelhos. Suspeita-se que ela pode ter morrido de envenenamento causado pelo por chumbo, ingrediente comum na maquiagem da época. Vale lembrar que nesse período, fora as nobres, apenas atores usavam batom.

7- Em 1770, o parlamento inglês proibiu o uso de pigmento nos lábios por achar que o batom era um artifício criado para seduzir e manipular os homens. Como consequência, durante os séculos 18 e 19, o batom voltou a ser usado apenas por artistas e prostitutas. E ele só passou a fazer parte do make das mulheres de família, a partir de 1921.

A “moderninha” Sarah Bernhardt usava batom

8- A famosa atriz americana Sarah Bernhardt começou a usar batom em público em 1880. Durante esse tempo, não existia o batom em tubo e ele era aplicado com uma escova.

Foto do Museu do Batom: em 1883 era enrolado em papel de seda

 

9- O batom como o conhecemos agora foi lançado comercialmente pela empresa de cosméticos francesa Guerlain, em 1884. E era feito de sebo de veado, óleo de rícino e cera de abelha, ele passou a ser embalado em tubos de papel ou potes pequenos.

 

Anúncio de batom da Elizabeth Arden

10 – Em 1912, as americanas mais avançadinhas e fashion adotaram o batom no dia a dia. Florence Nightingale Graham, fundadora da marca Elizabeth Arden, lançou um batom vermelho como símbolo da independência feminina – e marchou com aproximadamente 15 mil mulheres pela 5ª Avenida, defendendo o direito ao voto feminino.

11- Sabe aquele batom à prova de beijo que nós sempre sonhamos? Então, em 1927, o químico francês Paul Baudercroux inventou o batom “Rouge Baiser” (que em livre tradução do francês significa beijo vermelho). Ele foi comercializado como sendo prova de beijos. E, aparentemente, era. No entanto, a pigmentação era tão forte, que surgiram muitos problemas nos lábios de quem tentava remover o produto — isso foi o fim do “Rouge Baiser”, rapidamente banido do mercado.

12- Em 1932, Max Factor inventou sua versão para o batom labial, o “lip gloss”, o primeiro brilho labial batizado de “X-Rated”, que sobreviveu comercialmente até 2003. Antes disso, o brilho labial só havia sido usado em filmes para os quais o Max Factor criava maquiagem das atrizes.

Rita Hayworth, diva anos 1940, em campanha para Max Factor

13- O final dos anos 1940 e início dos anos 1950, ficou marcado pelo boom do batom. O químico americano Hazel Bishop criou o primeiro batom duradouro. E sob os cuidados de Max Factor, as atrizes americanas — entre elas, Rita Hayworth, Marilyn Monroe e Elizabeth Taylor — popularizaram os lábios vermelhos escuros. E assim, os lábios desejados das estrelas de Hollywood ajudaram a transformar o batom e produto de primeira necessidade feminina.

Fotos do destaque e do batom enrolado em papel de seda: Museu do Batom, Berlim

 

Compartilhe:
Eliana

Esse conteúdo também pode te interessar

Sobre a Chloé

Trabalho como make-up artist há 12 anos e também sou consultora de imagem. Atualmente, sou Diretora Artística da rede de salões de beleza Jacques Janine e dou cursos de maquiagem na Escola Madre. E decidi criar este site e minhas redes sociais para compartilhar tendências de make-up e técnicas de maquiagem (que aprendi e continuo aprendendo) para valorizar os diferentes estilos de beleza de cada mulher.

fb.com/ChloeGayaOficial